Apoio

Começa a segunda etapa do projeto Dialoga Turismo

Nesta fase será criado um plano tático para a retomada do setor em Belo Horizonte

A Prefeitura de Belo Horizonte, por meio da Belotur, e em parceria com o Sebrae Minas, deu início, nesta quinta-feira (13/05), à segunda edição do Dialoga Turismo, programa de consolidação da governança do Turismo de Belo Horizonte. A ação vai reunir nos próximos meses representantes de entidades, empresas, academia e órgãos ligados à atividade turística da cidade para a elaboração de um plano tático de retomada e desenvolvimento do setor. A programação, que vai de maio a julho de 2021, será totalmente on-line. Mais informações pelo link: portalbelohorizonte.com.br/dialogaturismo.

Esta segunda etapa do Dialoga Turismo dá continuidade às ações que se iniciaram em 2020, quando o programa abriu um canal de comunicação com o setor oferecendo uma programação de lives com convidados de todo o Brasil e, posteriormente, oficinas onde os participantes puderam definir diretrizes estratégicas para lidar, não só com os  desafios impostos pelos desdobramentos da pandemia, mas também com o futuro do turismo em Belo Horizonte nesse novo contexto. Agora, chegou o momento de priorizar ações e construir um Plano Tático para orientar o planejamento coordenado e a implementação de medidas, por meio de uma participação colaborativa, com responsabilidades e ações compartilhadas.

“O Dialoga é um projeto muito importante, justamente pelo seu caráter aberto e participativo. A ideia é que os próprios representantes do setor, que mais do que ninguém sabem dos desafios que estão sendo enfrentados, priorizem ações a partir das diretrizes que já foram estabelecidas por eles na edição anterior e definam estratégias e responsabilidades. Tudo isso contando com uma consultoria especializada. Continuamos acreditando que a construção colaborativa é a chave para a retomada da atividade turística da cidade”, explica Gilberto Castro, Presidente da Belotur. 

As atividades do Dialoga Turismo serão divididas entre três eixos temáticos:  Belo Horizonte Destino de Negócios e Eventos, Belo Horizonte Destino de Gastronomia, Patrimônio Arquitetônico e Cultura e Estratégias de Mercado para a Retomada. Na reunião realizada na manhã desta quinta-feira, foi apresentada uma breve retrospectiva do que já foi trabalhado na primeira edição do projeto, além de um passo a passo de como as atividades vão se desenvolver a partir de agora. Os participantes serão divididos em oficinas de trabalho e utilizarão uma plataforma para avaliar e hierarquizar ações. Ao final do processo, será lançado o Plano Tático Operacional do Dialoga Turismo. 

“O turismo é um dos setores mais impactados pela pandemia, com prejuízo estimado em R$ 161,3 bilhões, entre 2020 e 2021. É por isso, que iniciativas como o Dialoga Turismo fazem toda a diferença para que os pequenos negócios do segmento continuem de portas abertas. Ações que capacitam e orientam as empresas na melhoria da gestão, facilitando acesso à crédito e abrindo portas para a inclusão digital e para novos mercados. Um projeto que não só fortalece, como também incentiva o desenvolvimento desses empreendimentos”, justifica o superintendente do Sebrae Minas, Afonso Maria Rocha.

Sobre o Dialoga Turismo

O programa Dialoga Turismo é um espaço de escuta, reflexão e engajamento de representantes dos diversos setores relacionados à atividade turística de Belo Horizonte para estabelecer um sistema de gestão coordenada e participativa, gerar conexões, negócios e estimular soluções criativas e inovadoras para o desenvolvimento turístico do município de Belo Horizonte.

Lançado em dezembro de 2019, o programa adaptou seu escopo em função dos impactos da pandemia da COVID-19, com ações adequadas para o ambiente virtual e discussão de estratégias e diretrizes para o enfrentamento da crise e retomada do setor turístico da cidade no cenário da pós-pandemia, em curto e médio prazos.

Em sua primeira etapa, ocorrida entre os meses de junho a novembro de 2020, contou com uma agenda de painéis com pesquisadores, especialistas e gestores públicos nacionais e internacionais e 12 oficinas, que criaram um fluxo de discussão para definir e hierarquizar as diretrizes estratégicas propostas para o setor turístico da cidade. As atividades contaram com a participação de profissionais e pensadores do turismo em um movimento que horizontaliza o debate entre agentes do segmento turístico de Belo Horizonte, sejam eles públicos, privados ou do terceiro setor. O resultado principal das oficinas foi a elaboração de três eixos e sete diretrizes fundamentais à recuperação e ao desenvolvimento sustentável do turismo de Belo Horizonte.

 Assessoria de Imprensa da Belotur