Semana do MEI

Jovem celebra crescimento recorde após se formalizar como MEI

Ketley Matheus sonhava em ter uma marca própria, investiu em moda masculina e teve 200% de acréscimo no faturamento

O empreendedor Ketley Matheus Colen Rocha, de 23 anos, faz parte do grupo dos microempreendedores individuais (MEI) que se formalizaram durante a pandemia. Segundo uma pesquisa realizada pelo Sebrae Minas, cerca de 20% dos MEI decidiram regularizar seus negócios neste período. A pesquisa apontou ainda que entre os que se formalizaram como MEI na pandemia, 8% têm idade entre 18 e 24 anos. O percentual de jovens nessa faixa etária que empreendiam antes da pandemia era de 5%.

Ketley enxergou na crise econômica uma oportunidade para realizar o sonho de abrir o próprio negócio. A experiência com vendas encorajou o rapaz a fazer um acordo com a empresa em que trabalhava em Teófilo Otoni, no Vale do Mucuri, e, com o dinheiro da rescisão, começou a vender camisas.

Em julho do ano passado, antes de se formalizar, ele fez uma parceria com uma barbearia para comercializar produtos voltados ao público masculino. Apesar da ideia inovadora de unir moda e beleza num único espaço, o projeto foi barrado por questões legais, como a necessidade de alvará para funcionamento e emissão de notas fiscais.

“O empreendedor se descobre em meio aos desafios, e vi uma oportunidade de me formalizar. Tive mais tempo para estudar e percebi que o meu empreendimento, naquele momento, se enquadrava muito melhor no MEI. Todo empreendedor deveria formalizar seu negócio para movimentar a economia do país. Além disso, a regulamentação oferece um leque de oportunidades pra quem está começando”, diz Ketley.

Decisão

O desejo do jovem empreendedor, que também é formado em Direito, sempre foi ter uma marca própria. O negócio começou a tomar forma depois que ele participou de cursos e consultorias do Sebrae Minas. Atualmente, a empresa de Ketley, a Macho Alpha, atende 100% na modalidade on-line. Além das redes sociais, a loja conta com um site para movimentar as vendas.

“A pandemia foi uma grande oportunidade pra gente criar a nossa marca. No meio on-line, pudemos crescer no segmento e criar um conceito novo de moda. Estudei o nicho  da moda masculina e constatei que é um segmento que tem crescido muito”, disse. 

Planejar, buscar conhecimento e entender o mercado são fatores fundamentais antes de abrir um negócio. A dica de Ketley para quem quer começar é sair da zona de conforto.

“Fiz um planejamento básico, estudei, procurei fornecedores e pesquisei o mercado para poder atender às necessidades do meu público-alvo. A partir do momento que você toma a decisão de empreender, precisa de fato fazer acontecer, senão você fica a vida toda planejando e nunca começa.”

Sem crise

Em um cenário de crise, no qual muitos estabelecimentos fecharam devido à covid-19, a Macho Alpha cresceu cerca de 200%, em plena pandemia. Futuramente, a proposta é que a loja virtual também tenha um espaço físico.

“Temos crescido a cada mês, aumentando o faturamento, e isso é muito satisfatório. Vemos que, ainda em um ambiente de crise, estamos cumprindo a nossa missão.”

As vantagens de ser MEI

A formalização como MEI traz inúmeras vantagens para o empreendedor, como direito à aposentadoria, auxílio-doença, salário-maternidade, pensão por morte e auxílio reclusão. “Mas, antes de se formalizar, é importante lembrar que é preciso fazer um planejamento detalhado do negócio para verificar se as características do empreendimento se enquadram na categoria do MEI, como, por exemplo, previsão de faturamento, se pretende ter sócios, entre outros. Essas informações são fundamentais para o sucesso do empreendimento”, explica a analista do Sebrae Minas Loidiana Carlos Almeida.

 

Assessoria de Imprensa | Prefácio Comunicação

William de Jesus - (33) 99190-0011

william@prefacio.com.br

Richard Novaes - (31) 3292 8660 | (31) 98884-0255

richard@prefacio.com.br