Educação

Plataforma para controle de produção de fertilizantes orgânicos vence o AGITA Norte de Minas

Programa é uma iniciativa da Escola do Sebrae e Sebrae Minas

A startup Organo Cycle, plataforma que propõe manejos do processo de controle de fertilizantes orgânicos, foi a vencedora do AGITA Norte de Minas. Após três meses de capacitação, mentorias e acompanhamento dos negócios, o resultado foi conhecido no último dia 3, durante o Demoday realizado em Montes Claros. O segundo lugar ficou com a Nursing Online, aplicativo para atendimento domiciliares e, e em terceiro, a App Plus, solução para o gerenciamento de atividades complementares acadêmicas. Os três projetos primeiros colocados receberão premiação em soluções do Sebrae para a continuidade do desenvolvimento dos seus projetos.

O AGITA é um programa de pré-aceleração de ideias de negócios da Escola do Sebrae, que já possui edições em diversas cidades do estado. A primeira edição no Norte de Minas foi realizada em parceria com a Unimontes, UFMG, Favag, Funorte, FASI, FIP MOC, Instituto Federal do Norte de Minas, FACIT, Faculdades Prisma e FUNDETEC.

A Organo Cycle é formada por dois integrantes, Afrânio Araújo e Maria Gabriela Alves, ambos alunos do 10º período do curso de Agronomia da UFMG, em Montes Claros. Entusiasmado com a ideia, Afrânio explica como funciona a plataforma: “Grande parte dos resíduos sólidos gerados no Brasil são orgânicos. Conectamos empresas que geram esses resíduos aos produtores de fertilizantes orgânicos. Com uso de sensores instalados nas pilhas de composto. Coletamos informações técnicas sobre o processo, como temperatura, ph e atividades dos organismos. Com esses dados é possível acompanhar, pelo aplicativo, qual o processo mais rápido e eficiente e com redução de custos”.

AGITA acelera a ideia
Com a participação no AGITA, a ideia da plataforma ganhou ainda mais corpo. “O AGITA foi um divisor de águas para nossa ideia. A partir das mentorias, aperfeiçoamos e validamos nosso negócio. A troca de experiências com outros empreendedores nos ajudou a criar ferramentas para a modelagem do negócio, definir segmentação de mercado, de cliente e plano de negócio. Tivemos ainda viagens técnicas com troca de experiências com várias outras startups do estado”, destaca Afrânio.

Para o analista do Sebrae Minas, Walmath Magalhães, o AGITA cumpriu seu papel de auxiliar a formação de jovens com mentalidade empreendedora. “Após três meses de intenso trabalho, todos os envolvidos no processo foram recompensados com o desenvolvimento de ideias fantásticas. É gratificante apoiar ideias que contribuam para a inovação e o desenvolvimento da região”, ressalta.

Futuro
Com a ideia pronta e amadurecida, agora é hora de pensar no futuro. Os próximos passos serão dados no sentido de desenvolver a plataforma, para que ela cresça e comece a gerar resultados. “Agora vamos buscar novas parcerias, acelerar o negócio. Vamos lançar um protótipo funcional para que, no máximo em 2020, consigamos expandir para todo o estado de Minas Gerais e, com o tempo, o Brasil. Acreditamos ser um negócio viável, não somente pela questão econômica, mas também porque existe uma preocupação sustentável”, enfatiza Afrânio.

Assessoria de Imprensa Sebrae Minas – (31) 3379.9271/9275/9276/9278

Tags: Empreendedorismo, Micro e Pequenas Empresas