Oportunidade

Sebrae mobiliza produtores de linguiça artesanal da região de Formiga

Projeto vai estimular a organização dos empreendedores em torno de certificação que garante valor agregado ao produto e ampliação do mercado consumidor

A tradicional linguiça de Formiga vai ganhar um reforço competitivo. O Sebrae Minas está lançando um projeto de fortalecimento do setor na região, nacionalmente conhecida pela iguaria. A iniciativa tem o objetivo de garantir a origem produtora e a qualidade do produto, por meio de ações que vão contribuir para agregar valor ao produto, atrair consumidores e promover os negócios do setor. Serão selecionados, no mínimo, 12 produtores da região para participarem do projeto, que tem duração prevista de um ano. Os interessados devem procurar o Sebrae em Formiga. Informações: (37) 3322-2551.

O projeto de desenvolvimento do setor de produção de embutidos (linguiça) em Formiga é inspirado em iniciativas de marcas regionais ou marcas-território, executadas pelo Sebrae Minas em várias regiões do estado. Hoje, Minas Gerais é um dos maiores detentores de Indicações Geográficas (IGs) aprovadas no país. O estado detém oito IGs (concedidas pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial – INPI), ficando atrás apenas do Rio Grande do Sul, com 11. As IGs são ferramentas coletivas de valorização de produtos tradicionais vinculados a determinados territórios. Possuem duas funções principais - agregar valor ao produto e proteger a região produtora.

Para a realização dos trabalhos de obtenção da marca regional, é necessário mobilizar os empreendedores do território, trabalhando aspectos como a cultura da cooperação e o fortalecimento da entidade representativa do setor. “O projeto só traz resultados quando os empresários trabalham de forma organizada, um pré-requisito, inclusive, para obter a certificação de IG”, explica Ana Paula da Silva, analista do Sebrae na Microrregião de Formiga.

Estima-se que a região de Formiga tenha cerca de 30 produtores de linguiça artesanal, a maioria atuando no mercado informal. “Há desde produtores rurais a comerciantes que fabricam e comercializam o produto”, informa a analista do Sebrae.

As oito IGs mineiras:

- sete como IP: Peças artesanais em estanho (São João Del Rei), Cachaça (Salinas), Queijo (Serro e Canastra), Café (Serra da Mantiqueira), Biscoito (São Tiago) e Própolis Verde (Região da Própolis Verde de Minas Gerais, composta por vários municípios)

- uma como DO: Café (Cerrado Mineiro).

O Sebrae auxiliou na implantação de algumas dessas Indicações Geográficas e hoje segue com trabalho “pós-IGs” em cinco delas: nas duas de queijo, nas duas de café e na de cachaça.

 

Assessoria de Imprensa Sebrae Minas

(31) 3379-9271/9275/9276/9278

Tags: Agronegócios